COLEÇÕES

Movimento de Mulheres

Identificação:

Denominação: MOVIMENTO DE MULHERES
Sigla: (MOV MUL)
Natureza do Conjunto: Coleção
Data Limite Inicial: 1952
Data Limite Final: 1991
Quantidade: 2 pastas

Contextualização:

História Administ./Biografia: As lutas dos Movimentos de Mulheres têm como marco histórico a data de 8 de março de 1857. Nessa data, em Nova Iork, foi realizada uma manifestação coletiva feminina, que, através da greve, reivindicava melhores condições de trabalho, jornada de 10 horas diárias e melhores salários. A greve terminou em tragédia, pois os patrões não cederam e mandaram atear fogo ao prédio, matando a todas. Em sua memória, a Conferência Internacional da Mulher, reunida em 1910, declarou o 8 de março como "Dia Internacional da Mulher", reivindicado pela militante do Movimento Feminista alemão, Clara Zetkin.
A trajetória da participação política das mulheres na América Latina e no Brasil tem origem na luta pelo direito a instrução, pois, até o início do século XIX, se restringia o acesso das mulheres às escolas e à habilitação profissional. Apenas em 1827, surgiu a primeira regulamentação que permitia às mulheres frequentarem o ensino elementar e, finalmente, em 1871, reorganizou-se o ensino de formação para o magistério.
Com a industrialização, a convivência de mulheres e crianças com as fábricas, no Brasil, foi desoladora: tinham uma jornada de até 16 horas diárias, dormindo e se alimentando entre máquinas. Ao lado de homens nas oficinas, acabavam por receber salários menores.
Em 1917, as mulheres participaram da greve geral, parando fábricas e participando de comícios e outras manifestações.
Em 1919, Bertha Lutz e Olga de Paiva Meira representaram as brasileiras no Conselho Feminino Internacional do Trabalho, em cuja Conferência foram aprovados os princípios de salário igual, sem distinção de sexo, para o mesmo trabalho, e a obrigação de cada Estado de organizar um serviço de inspeção, incluindo mulheres, a fim de assegurar a aplicação das leis e regulamentos para a proteção dos trabalhadores.
O direito de voto, batalhado pelas norte-americanas em 1920, foi conquistado no Brasil em 1928, no Rio Grande do Norte, e estendido, em 1932, a todo território nacional.
O Movimento das Mulheres ressurgiu, no Brasil, nos anos 70, em torno das campanhas pela anistia política, contra a carestia, pelas liberdades democráticas, por trabalho, creches, planejamento familiar e contra a violência. Nos anos 80, as mulheres também participaram das campanhas eleitorais, da campanha pela Constituinte e do processo institucional de criação de conselhos e delegacias específicas.
Nesse contexto de lutas, participaram tanto intelectuais, quanto populares, mulheres brancas e negras, que se organizaram em torno dos problemas que lhes são próprios.
A Coleção, formada pela CEDIC, possui documentos de alguns desses Movimentos, como o Movimento de Mulheres de São Paulo, a Comissão de Mulheres do Partido dos Trabalhadores, entre outros.
Além da documentação dos Movimentos Feministas, tem-se de instituições que prestam assessoria a estes Movimentos.
Hist. Arquivística/ Procedência: os documentos foram adquiridos através de doações diversas. Entre os doadores: Instituto de Estudos Especiais (IEE) da PUC/SP, em 25 de março de 1993, Instituto de Relações Latino-americanas (IRLA), em data desconhecida.

Conteúdo e Estrutura:

Âmbito e Conteúdo: a Coleção compõe-se de informes para mulheres metalúrgicas, relatórios de pesquisa sobre a mulher, texto sobre a história do movimento feminino, teses sobre a mulher trabalhadora, estatísticas sobre a mulher trabalhadora, textos para discussões sobre a questão do aborto, programas de planejamento familiar, programas dos direitos da mulher, cadernos femininos, relatórios de encontros de mulheres, textos de estudo sobre violência e prostituição, folhetos sobre o papel da mulher, estrutura das organizações feministas, panfletos de divulgação de eventos, e carta aberta dos movimentos feministas.
Sistema de Arranjo: parcialmente organizada.

Condições de Acesso Uso:

Condições de Acesso:
Instrumentos de Pesquisa: . Inventário Topográfico da CEDIC. São Paulo, 1992. (datilografado)

Notas:

Notas: