FUNDOS

Associação Brasileira de Vídeo Popular, ABVP

Identificação:

Denominação: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE VÍDEO POPULAR
Sigla: ABVP
Natureza do Conjunto: Fundo
Data Limite Inicial: 1984
Data Limite Final: 2006
Quantidade: 20 caixas arquivo

Contextualização:

História Administ./Biografia: A ABVP foi criada em 1984 com o objetivo de incentivar iniciativas de vídeo - distribuição, capacitação e informação - junto aos movimentos sociais e populares. Constituiu-se ao longo de duas décadas em um espaço de discussão e reflexão acerca da produção videográfica alternativa popular, consolidando-se como um dos principais atores no debate e nas experiências de democratização da comunicação no Brasil, tornando-se referência na América Latina.

A Associação dividia-se em núcleos regionais, respeitando as divisões geográficas do país, e nas capitais de diferentes Estados contava com ilhas de edição de vídeo, que possuíam qualidade semiprofissional e eram cedidas aos produtores populares com o intuito de melhorar e aperfeiçoar a qualidade da finalização dos programas produzidos. Posteriormente, vários desses centros de pós-produção serviram de canais comunitários locais. Ainda, participava e promovia eventos em torno do tema vídeo popular, emissoras comunitárias e educação, bem como editava o Boletim de Vídeo Popular, de 1984 a 1995.

A entidade chegou a congregar cerca de 250 organizações não-governamentais, produtores independentes e usuários de vídeo popular, e a produzir e distribuir em torno de 500 vídeos.

O acervo videográfico, proveniente de todo o Brasil, versa sobre as mais diversas áreas, como educação popular, reforma agrária, sexualidade, gênero, saúde, questões étnicas e raciais, meio ambiente, trabalhadores entre outras.

Em meados de 2004, após resistir por três anos a uma forte crise política e financeira, a Associação foi encerrada.

Hist. Arquivística/ Procedência: Com o compromisso de dar um destino ao acervo de vídeos produzidos ao longo dos anos, colaboradores da Associação formaram o Coletivo de Ex-Integrantes da ABVP que destinou a coleção audiovisual à Videoteca da PUC-SP e os arquivos a este Centro de Documentação.

Conteúdo e Estrutura:

Âmbito e Conteúdo: O fundo compõe-se de dossiês formados pelos documentos: autorização de distribuição e difusão de vídeo, identificação dos participantes e condições legais, resumo, roteiro, publicações periódicas, documentos iconográficos de diversos produtores, dentre os quais Aída Campos, Alô Vídeo, Assessoar – Associação Estudos Orientados e Assistência Rural, Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS, Bernardo Brant, Canal Comunitário da TV A CABO (2), Carmem Barroso, Centro de Defesa dos Direitos Humanos e Educação Popular, Centro Santo Dias de Direitos Humanos, Instituto Cajamar, Instituto Nosso Chão, Instituto Paidéia, Instituto Princípio Único, Movimento de Mulheres do Paraná, Movimento dos Trabalhadores Rurais de Santa Catarina, Movimento Nacional de Meninos/as de Rua, Sindicato dos Condutores de Campinas, Sindicato dos Eletricitários de Campinas, Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco, TVT – Tv dos Trabalhadores, UFOP, Umes – SP, União dos Movimentos de Moradia, Uzina Vídeo, Vídeo Ação de Rua e Vídeo Independente; além de dossiês de participação e promoção de eventos na área, tais como Fórum Nacional de Democratização da Comunicação, atas de reunião, catálogos de vídeo, Boletim Vídeo Popular etc

Sistema de Arranjo: parcialmente organizado.

Condições de Acesso Uso:


Condições de Acesso:
Instrumentos de Pesquisa: Não há.

Notas:

Notas: Os vídeos estão sob custódia da Videoteca da PUC/SP. Para saber mais acesse: www.pucsp.br/videoteca.